RSS

terça-feira, 12 de junho de 2012

Hiato

Aos que passarem por aqui, informo que a produção de poemas deu uma estancada. A pausa será por tempo  indeterminado, mas não deixem de ler este blog, bem como o blog principal no link abaixo:


Até mais!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Filémon e Báucis


veios costurados
troncos amarrados

resistindo ao fosco mundo
pintam a paisagem
vívidos abraços

terça-feira, 8 de maio de 2012

Espanhola


a pequena morte
vive em seu decote

a cada botão rompido
sinto um estalido
falo ao coração

terça-feira, 20 de março de 2012

Sal




Sal que desliza nos dedos
ledo se prende na boca
Poucas delícias são corte
forte, na alma fatal...

Quero me cortar,
viajar num céu
de sal e de língua;

não morrer à míngua,
coberta num véu
sem nunca te ter!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Perto




Sinto febre dominando
quando peito aproxima
lima dores pra bem longe,
onde morram os conflitos.

Essa febre ferve
falo, corpo, alma
faz-me verter anjos

em belos arranjos,
orgasmos sem calma
a parir estrelas!

sábado, 21 de janeiro de 2012

Cadente


Vista por estrelas vesgas
nesga que me cabe espero;
quero o foco das estrelas
pelas taras dum artista

pra pintar seu sexo
nas íris dos olhos
pra contemplação...

longa duração
de gozos, espólios,
tomara que chegue
!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Rabiscos






As unhas em seus quadris
vis rasgam, abrem cortinas
tão finas quanto suspiros
ou riscos-gozos que punha

sempre nas suas pernas
declarando amor
a sua carne quente...

Tais unhas frementes
que as guarde entre a flor
fervendo em suas coxas.
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...